segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Deslocal

O petróleo não tem um percurso fácil desde a sua extracção até ao depósito dos veículos. Corre muito sangue para que alguns privilegiados possam abastecer o carro, visto o domínio sobre os países que detêm as maiores zonas de exploração petrolífera nunca ser fácil. Em Portugal, embora tenhamos apoiado recentes invasões a países estrangeiros devido ao consumo de petróleo, nunca tivemos consequências disso. O espectro do terrorismo difundido pelos mass media provoca nos portugueses pouco mais que indiferença. Tudo parece distante e continua-se a consumir sem se ter bem a noção de onde tudo vem e sem sequer haver muita preocupação em descobrir.
O que se pretende neste projecto é um confronto entre realidades. O deslocar uma realidade para dentro de outra, unindo-as por um elemento comum que é neste caso o petróleo, pode provocar tensões muito fortes. O projecto consta assim da colocação clandestina de uma figura humana de tamanho real, similar à imagem do terrorista típico que se vê na comunicação social, munido com uma réplica de uma metralhadora AK-47 numa bomba de gasolina da Rua Júlio Dinis, no Porto. A peça, instalada num muro com uma altura considerável e de difícil acesso, parece estar a observar os consumidores de combustível. Embora não tenha ficado no local muito mais que umas horas, a sua presença foi suficiente para causar alguma inquietação e sensação de insegurança em quem abasteceu naquele local. Como registo fica um vídeo documental que inclui a instalação da peça e a reacção de quem estava responsável pelo estabelecimento na altura.





2 comentários:

Anónimo disse...

... se tivesses em vez de um terrorista, uma stripper agarrada a um varão, ias ver que tinha mais impacto...

email: protect157@hotmail.com disse...

excelente! estava a faltar alguem que se ocupe e dê forma a estas intervenções urbanas. bom trabalho!