segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Vazios

Pretende-se com este projecto estudar os espaços neutros de movimento e acção dentro dos circuitos de circulação da sociedade, como forma de materializar uma preocupação em questionar a organização do espaço público e da forma como este é usufruído pelos seus utilizadores. Ao considerar as ruas como uma área partilhada, utilizada de várias formas, preenchida por vários objectos, onde ocorre movimento, onde se definem percursos dentro da trama urbana, pode-se entender uma área onde isso não aconteça como uma zona de interrupção, que não serve o propósito do espaço.
A intervenção define-se então pela aplicação de objectos insufláveis de vários formatos, elaborados com manga plástica transparente, nos espaços mortos da rua. Esses elementos são produzidos em função dos intervalos que vão ocupar, tendo cada um deles uma forma específica consoante essa área (a parte inferior de um banco da rua, um espaço entre um poste e uma parede, etc.)
Como objectivo final, procura-se obter uma solução plástica onde toda a rua terá os seus espaços mortos preenchidos e ocupados, embora na realidade a sua ocupação seja mínima, mais psicológica que física, visto que todo o espaço continuará ocupado apenas por ar. A única diferença é que existe uma fronteira visível entre o ar que se encontra no intervalo e o restante que existe nos espaços úteis da rua. Esses intervalos são assim activados e destacados do resto da rua. começam a ser notados de forma inversa a antes de estarem "preenchidos". Procura-se que os elementos que circulam na rua comecem a encarar esses espaços como zonas passíveis de utilização e não como zonas neutras, quase inexistentes.






1 comentário:

Edgar disse...

espaços mortos/inúteis